"Ler o mundo": a prática da leitura na era digital

Imagem: 

No marco do projeto Lire le monde (Ler o mundo) a Biblioteca Pública de Informação, maior biblioteca pública em Paris e exemplo de inovação no âmbito da leitura para o resto das bibliotecas francesas, inaugura um novo ciclo de leituras dedicado ao centenário da Primeira Guerra Mundial.
 
O ciclo pretende ser um espaço para abordar a atualidade do livro e estabelecer um intercâmbio entre os autores e o público. Nesta ocasião a editora Autrement publica o primeiro estojo temático sobre os principais acontecimentos da década que começa em 1914 e vai até 1924. Trata-se de ter um olhar abrangente e singular sobre as guerras e as revoluções que marcaram o período que começa com a Grande Guerra em 1914.
 
O projeto da BPI, Lire le monde, foi concebido em 2010 como aplicação das 14 propostas do Ministério da Cultura da França para o desenvolvimento da leitura. A constatação do declínio, a partir de 1980, da leitura como prática cultural de referência na França está longe de se constituir numa especificidade francesa.
 
As propostas têm como objetivo animar uma reflexão nacional sobre a leitura concebendo-a como uma prática cultural chave na era digital. As propostas estão organizadas em três eixos estratégicos. O primeiro consiste em estabelecer programas pilotos  a partir dos dois grandes estabelecimentos nacionais que servem como referências para as outras bibliotecas: a Biblioteca Pública de Informação e a Biblioteca Nacional de França. O segundo enumera varias medidas que permitiriam contra-arrestar o declínio da prática da leitura, dentro das quais encontra-se a expansão dos horários de abertura e de atendimento ao público das principais bibliotecas do país. O terceiro eixo é incentivar e apoiar financeiramente as organizações que trabalham expandindo a prática da leitura num público mais jovem, na população de origem estrangeira e nas populações afastadas das bibliotecas.
 
Trata-se também de incluir outras atividades que estimulem a frequência das bibliotecas reconhecendo a diversidade social da população e por conseguinte dos seus públicos.
 
 
Crédito da imagem: ©BPI/Sylvie Biscioni
Texto: Sara Tufano

 

SITE DESENVOLVIDO POR MANISH | DESIGN DE PATHOS GRAPHICOS